27 de abril de 2021

Katana Kata



Eu como um fã dos jogos da From Software me vi na obrigação de experimentar o Katana Kata. Ele é um game com temática samurai, onde o equilíbrio entre atacar e se defender, pode fazer toda a diferença.

Somos o último pupilo de um velho mestre. Nossa missão é encontrar os outros discípulos que abandoram o dojo e estão usando suas habilidades para o mal. 

Esse é o enredo do game, não há nada que explique o que levou os personagens a essa situação, o pouco que há é exposto através de um texto, bem resumido, no início de cada fase.



O combate e as armas

A mecânica de combate é simples, mas complicada de se domar. Os ataques podem ser desferidos em duas direções: para cima e para baixo. E aqui vem o grande problema dessa equação: para repelir um ataque será necessário atacar o inimigo na mesma direção. Simples? Na verdade nem tanto.

Durante o gameplay a câmera se posiciona, muita das vezes, numa posição inadequada, impossibilitando a correta visão do nosso adversário. Acredito eu, que isso poderia ser corrigido se tivéssemos a opção de travar a câmera no nosso inimigo.

O que temos na verdade é algo que se assemelha a uma zona de ataque. Quando a ativamos, nosso personagem passa a focar nos inimigos dentro do raio dessa zona. Solução, que sinceramente, não curti.

Uma outra habilidade que pode nos auxiliar na hora da luta é a esquiva. Ela funciona muito bem durante o jogo, mas isso depende do modo como o nosso adversário ataca. Quando um kanji surge na cabeça do adversário, não há defesa ou habilidade que consiga repeli-lo, restando apenas a esquiva. Se a executarmos no tempo errado, com certeza morreremos.

Com relação as armas, elas possuem uma barra de energia que determina sua vida útil. Caso esgote, a arma se quebrará e se não tivermos o upgrade que permite carregarmos mais de uma, estaremos em apuros.

Claro que isso pode ser resolvido pegando outra pelo caminho. Basta arrebentar um adversário mais fraco com as mãos ou voltar pelo caminho percorrido. Pois os inimigos assim que morrem largam suas armas no chão. Infelizmente tenho apenas uma ressalva sobre as armas, que está relacionado ao pesadelo.





Conforme derrotamos os adversários, pontos de experiência são conquistados e vantagens são recebidas. Para aproveitar essas vantagens, temos que encontrar a estátua do Buda, que nos dará acesso a um menu com algumas possibilidades de melhorias.

Se você morrer em um determinado ponto do jogo, perderá tudo aquilo que conquistou até aquele momento (vantagens e pontos de experiência), seguindo a fórmula soulslike. Mas há uma maneira de recuperar isso, basta vencer a sua sombra no pesadelo.




No pesadelo enfrentaremos uma sombra do nosso personagem. Infelizmente, muito mais forte e mortal. A ideia é muito boa, mas a execução não ficou tão legal assim. Fora a dificuldade que é fora do normal, pelo menos para mim. 

Houve um momento nesse lugar que me irritou profundamente. Eu morri com uma arma que estava prestes a quebrar. Para resolver isso no mundo real, basta encontrar uma nova arma, que provavelmente estará em algum lugar do cenário. 

Já no pesadelo, não há nada além da sombra. Minha espada quebrou e tive que lutar contra a sombra somente com as mãos e pés. Já devem imaginar como foi o resultado.



Considerações finais

A parte sonora e visual do game são muito boas. A forma minimalista como o mundo foi construído me agradou bastante. Meu maior problema com o jogo está no seu nível de dificuldade e no uso de algumas mecânicas.

Se as mecânicas fossem perfeitas, eu diria que o problema da dificuldade estaria resolvido, pois a responsabilidade por vencer determinado desafio recairia sobre nós. Mas isso não se aplica ao Katana Kato, que tem boas ideias sim, mas que escorrega na hora de colocá-las em prática.

Eu continuo jogando ele, com o intuíto de explorar todos os cantos possíveis daquele mundo. Se você for um jogador, não muito exigente e paciente, gostará do que ele tem a oferecer. Caso contrário, recomendo que espere por atualizações de correção ou por uma continuação. Pois o estúdio, acertando ou não no Katana, merece a nossa atenção.

Esta análise só foi possível graças a Samustai Limited, que gentilmente nos disponibilizaram uma cópia para avaliação do jogo, fica aqui o nosso agradecimento pela confiança.