25 de setembro de 2020

FoxyLand

"FoxyLand é um jogo simples e divertido. Uma ótima opção para os amantes de jogos feitos em pixel art."


Eu sou um grande fã de jogos indies e quando me deparo com um título feito em pixel art, sinto a necessidade, quase que imediata de jogá-lo. FoxyLand é um game de aventura e plataforma, onde controlamos a raposa Foxy.

Foxy e sua companheira Jennie viviam tranquilamente, até que um dia, um pássaro resolve sequestrar Jennie. Foxy, desesperado, inicia a sua jornada a fim de resgatar a sua amada. A premissa do jogo é tão simples, quanto a sua jogabilidade. O objetivo é superar os 36 níveis e ao final, salvar a sua namorada.

A procura de diamantes e cerejas

Cada fase possui uma quantidade certa de diamantes e cerejas. Os diamantes são necessários para avançarmos para o próximo nível. Já as cerejas, elas são usadas como moedas para comprar roupas e acessórios para o personagem. Esses itens servem apenas para enfeitar o personagem, não agregando nenhum tipo de vantagem ou poder.

Basicamente a raposa tem duas habilidades: pular e acionar alavancas. Como todo bom jogo de aventura/plataforma, se pularmos em cima de um inimigo, o derrotamos na hora. Essa é a única forma de combate do jogo.

As fases possuem poucos inimigos na tela, o desafio mesmo é superar os espinhos, as plataformas que desaparecem e os blocos que tentam te esmagar. Talvez nesse momento, possam surgir os primeiros sinais de problema no jogo.


Muitos desafios e um pequeno problema

Mesmo tendo mecânicas simples, há um pequeno problema nos controles. A impressão que dá, que alguns comandos não respondem como gostaríamos. O pulo por exemplo, me dá a sensação que, o personagem não tem peso algum. Fora as situações, poucas, que ao apertar o botão pular, ele simplesmente me ignorou e caiu nos espinhos.

As fases possuem um ótimo level design e um bom nível de dificuldade. A arte do jogo é bem feita com detalhes que chamam a atenção: folhas da árvore caindo e arbustos se movendo quando passamos próximos. Além disso, os personagens são simples, mas com animações bem feitas.

O nível de dificuldade aumenta na medida que avançamos no jogo. Chegou num ponto, que passei a ignorar as cerejas ou os inimigos, tendo como foco somente os diamantes, que por sua vez, são necessários para avançar para o próximo estágio. Na minha opinião, isso aconteceu, por conta dos controles, que apresentaram os problemas que comentei anteriormente.

Assim que finalizamos o game, podemos jogar as fases com temática Halloween. É bem curto, mas interessante, principalmente o chefe final. Lembrando que as fases com essa temática já estão liberadas, desde o início do game, mas acredito que para aproveitá-las melhor, devemos jogar os níveis da campanha primeiro.



Veredito Final

O jogo foi desenvolvido pelo estúdio BUG-Studio e publicado pela Ratalaika Games. O game foi originalmente lançado para o PC (Steam) em 2017, mas a versão que eu joguei foi a do Xbox One. Se você curte jogos indies de curta duração e que lembre os títulos da era de ouro dos 16bits, esse game é para você. Recomendo fortemente que o jogue, você não se arrependerá, mesmo tendo esses pequenos probleminhas nos controles.

Essa análise só foi possível graças a Ratalaika Games que gentilmente me forneceu uma cópia para avaliação.

| Humberto Costa
Mecânico de Robôs