9 de março de 2020

Chip and Dale: Rescue Rangers

Um game que joguei muito na infância e que considero até hoje como um dos melhores do nintendinho. 



Nós temos o costume de criar listas para organizar compromissos, coleções e coisas que gostamos. Eu tenho uma lista dos jogos que mais gostei no nintendinho. Pode soar absurdo, mas o jogo que está no topo da lista não é Super Mario, é óbvio que ele está entre os cinco primeiros, mas o meu prefiro na verdade é Chip and Dale: Rescue Rangers (1990).

Eu tenho um carinho especial por esse jogo, não sei explicar o porquê, talvez isso seja o reflexo dos poucos jogos que eu tinha, e que por conta dessa limitação, tive que jogá-lo exaustivamente. Ou, porque fiquei bom de tal forma, que o fechava sem perder uma vida se quer. A coisa é tão estranha, que no momento que escrevo esse texto, começo a lembrar de algumas músicas do jogo, principalmente da última fase. Só depois de adulto descobri que o jogo teve uma continuação. Eu a joguei, curti algumas melhorias, mas senti que ele era inferior ao primeiro.

Basicamente o jogo é de plataforma e ação. Ele possui dois modos: solo e cooperativo. No primeiro modo temos a oportunidade de escolher entre os dois esquilos. Eu fechei o game inúmeras vezes com os dois personagens, embora preferisse mais o Teco. Já o segundo modo é para dois jogadores, o jogador 1 fica com o Tico e o jogador 2 fica com Teco. As fases eram identificadas por letras e organizadas em um mapa. Cada fase possuía um ambiente único e representavam pontos diferentes da cidade. Ao final delas, em sua maioria, enfrentávamos um chefe, que podia ser um capanga do Gatão ou simplesmente uma máquina.

Na época eu não sabia nada de inglês, por conta dessa limitação, eu tentava imaginar o que estava de fato rolando na história. O enredo, de uma forma simples, é assim:

Os detetives estão em uma missão importante: encontrar o gatinho desaparecido da Mandy. Enquanto isso, a Geninha sai para explorar uma determinada área. Monterey Jack é incumbido de investigar a aparição misteriosa de cachorros robôs. 

Tico e Teco entram em um laboratório e são atacados por um robô louco.  Tudo não passava de meras distrações, para que o vilão Gatão pudesse sequestrar a Geninha. O objetivo dele é forçar Geninha a trabalhar para ele. 

Em seu cativeiro, ela consegue entrar em contato com os heróis e envia para eles, via pombo correio, um mapa com caminhos que os conduzirão ao seu cativeiro.




Hoje lendo artigos na internet, percebo que o jogo foi muito bem recebido pelo público e crítica. Ele vendeu aproximadamente 1,2 milhões de cópias em todo mundo. A crítica curtiu o jogo de tal forma que o título recebeu o prêmio Parent’s Choice Awards de 1990.  Em 2009 o site IGN colocou o jogo na posição 71 da lista dos 100 melhores jogos do NES de todos os tempos. No mesmo ano, a Gamesradar, o colocou em sexto lugar na lista dos 7 melhores jogos da Disney. Essas foram as notas que os críticos deram na época:

  • EGM: 7,75/10
  • Nintendo Power 4/5
  • Mean Machine 88%

Em 2017 foi lançado The Disney Afternoon Collection, uma coletânea de clássicos da era NES.  Chip and Dale 1 e o 2 estão inclusos nessa lista e podem ser jogados nas plataformas: Xbox One, PS4 e PC.

Jogatina Perfeita

Eu nunca esqueci o dia em que eu fechei o jogo, na frente de amigos, sem perder uma vida sequer. O pior, que eu não percebi esse feito, apenas fui jogando e avançando sem parar. Isso aconteceu na casa de uma colega de escola. Sempre que possível, nos reuníamos para jogar NES. Calhou que naquele dia, eu apresentaria para eles o jogo do Tico e Teco. Na medida que jogava, eu ia explicando algumas coisas da fase e mecânicas. Lembro-me vagamente de termos combinado que se eu morresse, alguém assumiria o controle e daria continuidade ao jogo. Como fazíamos costumeiramente.

Passei a primeira fase, depois a segunda, veio a terceira e sem perceber passei por todas as fases do primeiro mapa, sem perder uma vida sequer. Naquele momento os meus colegas estavam empolgados e preferiram me assistir jogando até o fim. Foi o que aconteceu, para mim foi um feito inédito, porque eu sempre perdia uma vida na última fase, para eles foi algo incrível. Felizmente naquele dia minha gameplay foi perfeita.



Confesso que tentei jogá-lo nos últimos dias, só para sentir o quão enferrujado estou. Cheguei até a publicar alguns vídeos no canal, se quiser ver, clique aqui. Não adianta, hoje eu não tenho os reflexos de outrora, morri várias vezes na última fase. Mesmo assim, jogar Chip and Dale: Rescue Ranger é prazeroso e o indico para todos que curtem jogos da Disney. Você pode jogá-lo através da The Disney Afternoon Collection lançado nas principais plataformas.

| Humberto Costa
Mecânico de Robôs